Wednesday, 21 October 2015

Frelimo vai bloquear Comissão de Inquérito para investigar EMATUM?




Começa hoje a II Sessão da Assembleia da República

Tem início hoje, quarta-feira, a II Sessão Ordinária da VIII legislatura da Assembleia da República. A agenda tem 27 pontos, sendo três de capital importância para o momento político que o país atravessa. Trata-se do projecto da revisão da Constituição da República, proposto pela Renamo, ainda no âmbito do projecto das autarquias provinciais; o inquérito à Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM), empresa crida pela tríade composta por Armando Guebuza, Manuel Chang e Filipe Nyusi; e o informe sobre o Estado da Nação, o primeiro de Filipe Nyusi desde que assumiu a Presidência da República.


Autarquias provinciais


A proposta de revisão constitucional é uma espécie de insistência da Renamo para viabilizar o projecto das autarquias provinciais rejeitado pela bancada da Frelimo no passado.
Com esta proposta, a Renamo coloca a bancada maioritária numa situação complicada. É que, segundo alguns juristas ouvidos pelo “Canal Canalmoz”, uma eventual reprovação pela bancada maioritária será por motivos políticas e não jurídico-constitucionais.
Nesta batalha, a Renamo tem o apoio do Movimento Democrático de Moçambique, que sugere que o partido vencedor em determinada província tenha o direito de propor “três nomes para candidatos a governador provincial”, ou que o governador seja eleito entre os cidadãos residentes na província, através de uma proposta de três nomes. A ideia principal é a de que não deverá ser o Presidente da República a indicar quem deve ser o governador provincial.

EMATUM

A sessão que hoje se inicia vai debater a proposta do MDM de criação de uma Comissão de Inquérito parlamentar à EMATUM, que foi criada de forma obscura e corrupta por Armando Guebuza, Manuel Chang e Filipe Nyusi, e que endividou o Estado em 850 milhões de dólares. Na edição de terça-feira, o “Canalmoz” informou que a EMATUM indeferiu um pedido de informação do MDM.
Há dúvidas sobre se a Frelimo vai autorizar a criação da comissão. Na sessão passada, a Frelimo rejeitou uma proposta do MDM de criação e de uma comissão para averiguar os problemas existentes na EDM.

Ainda nesta sessão, salienta-se o Informe sobre o Estado da Nação. É o primeiro de Filipe Nyusi desde que tomou posse a 15 de Janeiro. Espera-se que Nyusi diga alguma coisa sobre as frequentes emboscadas que as Forças de Defesa e Segurança têm feito a Afonso Dhlakama, presidente da Renamo. (André Mulungo)





CANALMOZ – 21.10.2015, no Moçambique para todos 

2 comments:

Jovencio Gaby said...

a frelimo veio como um assaltante.ela vem preparada pra roubar,matar,destruir e saquear tudo que é do povo.a frelimo é um grupo de beneficiados pelo suor do povo moçambicano.num país sem justiça e onde a verdade nunca é dita.quantos mortos estao na lista da execuçao da frelimo ??quantos milhoes de dolares estao nas contas desses safados?e ja imaginou quanto roubaram pa a tal empresa ematum????pense comigo..

Anonymous said...

Estão envolvidos na luta contra aqueles que fazem de tudo para construção do povo, matam, prendem e tudo para calar, quantos vão matar e prender para chegarem ao que querem? Em vez de lutarem contra a recessão da economia estão a vingar-se contra os lutam à favor dos direitos democráticos, o que é isso? Take over, queremos ver se vamos calar porque somos mortos. Para mim, eu prefiro uma vida curta depois de ter falado em defesa do povo, do que ter uma vida longa mas calado, sem valor. Fiquem sabendo que o povo está cansado e um dia o cenário pode vos dar costas.